Missa da Noite de Natal

A Luz Nas Trevas

Deus entra na história da humanidade por meio de uma mulher marginalizada. Celebrar o Natal é fazer memória dos eventos libertadores do nosso Salvador, Messias e Senhor. Jesus nasce no meio dos pobres, migrantes, pastores, enfim encarna-se na realidade dos que sofrem para remi-los.

A liturgia é comunicação do Deus que optou pelos pobres, falando a linguagem deles, resgatando-os definitivamente, para que ninguém venha de novo oprimi-los. Nasce para nós o Salvador. Hoje é dia de boas notícias, pois a história toma rumo novo, manifestando a solidariedade do Deus fiel. Glória a Deus no mais alto dos céus. Sua glória é ação   concreta repercutindo na terra, trazendo para todos a paz. Envolto em faixas e colocado num sepulcro; feito pão e vinho e posto a serviço dos que ele ama: assim é o nosso Salvador, o Messias, o Senhor, aquele que não reservou para si sua vida, mas a entregou a fim de nos resgatar e purificar, tornando-nos seu povo, dedicado a praticar a justiça.

Isaias 9,1-3.5-6 – Nascimento de um príncipe, luz para o povo nas trevas – No tempo de Isaías, em 732 aC, a população da Galileia (Norte) tinha sido deportada para morte. Mas surge uma luz : o nascimento de um filhão real . Ele recebe títulos de inimaginável grandeza, exprimindo a confiança colocada nele. A galiléia oprimida torna-se imagem de toda a humanidade, e aquele em quem ela coloca sua esperança deve ser o libertador da humanidade toda. Mt 4,13-16

Tito 2,11-14 – Manifestou-se a graça de Deus – Entre a primeira manifestação da graça história. Através de nós, o mundo experimentará algo do carinho de Deus. Tt 3,4; 1Tm 1,11

Lucas 2,1-14 – Nascimento de Jesus e o anúncio aos pastores – As esperanças messiânicas do AT oscilavam entre um agir de Deus e um novo rei davídico. Na criança de Belém, ambas as expectativas são realizadas: o Filho de Davi é o Filho de Deus. Céu (anjos) e terra (pastores) adoram. Ele é o Senhor, manifesta a glória de Deus e traz paz ao mundo. 1Sm 10,10; 16,1-13.

<< Voltar