Primeiro Domingo da Quaresma

Tentações de Jesus e dos Cristãos

As comunidades cristãs iniciam sua caminhada quaresmal atentas aos apelos que nos vêm da realidade. Na liturgia deste domingo celebramos a memória daquele que venceu a tentação do acúmulo, prestígio e poder e se tornou pão de vida para que todos possam viver. Sua obediência ao Pai até o fim trouxe para nós a justificação, Na celebração eucarística Jesus é a árvore da vida que o Pai plantou no centro de nossa existência. Com ele nascemos para uma vida nova, baseada na partilha e fraternidade.

Geneses 2,7-9; 3,1-7 : O pecado de Adão – o que gn 2 e 3 narram não é a sua história de um indivíduo mas uma mensagem que se refere à vida de todos. O homem é mortal. Quando Deus lhe tira seu “sopro de vida”, ele volta à terra da qual foi tomado. Mas não deseja a ruína do homem. Se a morte é a ruína do homem, é porque o homem lhe virou as costas. Quando, em Cristo, o homem volta a Deus, a morte já não é ruína, mas sim, transformação da vida.

Mateus 4,1-11 : Tentação de Jesus – Jesus veio “cumprir toda a justiça” ( Mt 3, 15), também ao ser tentado no deserto. Israel foi colocado à prova no deserto, por Deus mesmo (Dt 8,2-3), e não resistiu. Adão foi provado no paraíso, e não resistiu. Em Cristo, Israel e a humanidade( Adão) refazem a prova com sucesso. Jesus vence a tríplice fome de pão, glória e poder. As respostas de Jesus são tiradas do Dt 8,3;6,16;6,13.

Romanos 5,12-19 : Onde abundou o pecado, superabundou a graça – Na primeira leitura é evocado Adão, no evangelho Jesus, e na segunda são comparados. Central é o vers 18: condenação para todos pelo pecado de Adão, reconciliação para todos os que quiserem, pela justiça de Cristo. Todos são pecadores, mas para todos existe salvação na fidelidade de Deus e no gesto salvífico de Cristo. Paulo evoca este mistério pelos contrastes: um / todos, morte/vida, adão/ Cristo. To mando o lugar de todos, Jesus venceu a morte, para oferecer a todos a comunhão com Deus, que é vida.

A liturgia dos domingos quaresmais é, às vezes, um tanto complexa, pois enquanto acentua por um lado os temas da conversão, trata também de chamar atenção para os grandes episódios na vida de Jesus, destacando ainda aqueles que têm um sentido sacramental, já que o Quaresma era, antigamente, o tempo de preparação para o batismo. Hoje, temos, nas duas primeiras leituras, o tema do pecado, enquanto o evangelho narra a tentação de Jesus.

Campanha da Fraternidade de 2020
Tema: “Fraternidade e vida: dom e compromisso”
Lema: “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34)

A CAMPANHA DA FRATERNIDADE TEM HOJE OS SEGUINTES OBJETIVOS PERMANENTES

01 – Despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, comprometendo, em particular, os cristãos na busca do bem comum;

02 – Educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor, exigência central do Evangelho;

03 – Renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja na evangelização, na promoção humana, em vista de uma sociedade justa e solidária (todos devem evangelizar e todos devem sustentar a ação evangelizadora e libertadora da Igreja).

A coleta da Campanha realizada como um dos gestos concretos de conversão quaresmal tem realizado um bem imenso no cuidado para com os pobres.

Ao percorrermos o itinerário da Campanha que nossos irmãos nos prepararam, possamos continuar seguindo Cristo, caminho, verdade e vida (Cf. Jo 14,6).

<< Voltar