Quarto Domingo da Páscoa

O Bom Pastor dá sua Vida

O tema central da liturgia de hoje é a alegoria do Bom Pastor. Jesus diz que ele veio para “dar a vida”, e dá-la em abundância; e continua, em 10,11, apontando sua própria vida como sendo esta vida em abundância que ele dá. Nos v.17-18 aparece, então, que ele dá esta vida com soberania divina (ele tem o poder de retomá-la; ninguém lha rouba): doando-se por nós, nos faz participar da vida divina, porque entramos na comunhão do amor de Jesus e daquele que o enviou.

A vida que Jesus nos dá é o amor do Pai, que nos faz viver verdadeiramente e nos torna seus filhos. Já agora temos uma certa experiência disso, a saber, na prática deste amor que nos foi dado. Mas esta experiência é ainda inicial; manifestar-se-á plenamente quando o Cristo for completamente manifestado na sua glória: então, seremos semelhantes a ele. Desde já, nossa participação desta vida nos coloca numa situação a parte: na comunidade do amor fraterno, que o mundo não quer conhecer e, por isso, rejeita (1Jo 3,1). É a “ diferença cristã”.

Atos 4,8-12: Defesa de Pedro diante do Sinédrio – Processo a Pedro e João por terem causado tumulto ao curar o aleijado da Porta Formosa. A questão é: “Em nome de quem?” 94,70. A resposta de Pedro é mais um testemunho da obra de deus em Jesus Cristo 4,8-12; ‘‘No nome de Jesus, que vós crucificastes, e Deus ressuscitou ‘’ (At 3,6-16).

1 João 3, 1-2 – Já somos filhos de Deus – Quem não acredita em Cristo, não entende a experiência cristã que se expressa na frase ‘’ Somos filhos de Deus’’. Mas também o cristão não a entende plenamente, pois deve manifestar ainda seu sentido pleno. (Rm 8,14-17)

João 10,11-18 O Bom Pastor dá sua vida pelas ovelhas – Pastor nome dos chefes do povo no antigo Israel – Ez 34. Jesus, o verdadeiro Pastor de Israel e de todos os povos, dá – com soberania divina – 10,18 – sua vida pelo rebanho e reúne a todos. O sentido pleno destas palavras só aparece à luz da Páscoa: a comunhão do ressuscitado com os seus. Daí, para todos, uma mensagem de unidade; e para os “pastores”, uma exortação ao radical serviço e doação da vida.

<< Voltar