Quarto Domingo do Advento

Deus está conosco

“O Senhor esteja convosco”. “Ele está no meio de nós”. Com este simples diálogo , proclamamos nossa fé e celebramos a fidelidade do Deus que jamais abandona seu povo. Por isso temos a alegria de celebrar sua vinda no passado, no presente e no futuro, até que Deus seja tudo em todos.

Celebramos a fé em Jesus, o Emanuel, aquele que salvou o seu povo dos seus pecados. A Eucaristia nos convida a fazer como José, homem justo. “Quando acordou, ele fez conforme o Anjo do Senhor havia mandado”. Que a fé no Deus-conosco nos ajude a despertar para o compromisso com a nova história de justiça, verdade e liberdade que Jesus , ao inaugurá-la, confiou a seus servos, profetas e apóstolos.

Isaias 7,10-14 – O Emanuel , nossa esperança. Acaz teme o cerco e verifica a reserva de água da cidade. Isaías vai ao seu encontro e o tranqüiliza, mostrando que não haverá perigo, pois continua válida a promessa de que a dinastia de Davi será perene, desde que se coloque total confiança em Javé. O sinal prometido a Acaz é o seu próprio filho, do qual a rainha (a jovem) está grávida. Esse menino que está para nascer é o sinal de que Deus permanece no meio do seu povo (Emanuel = Deus conosco). Mt 1,23 vê na jovem a figura da Virgem Maria, e no filho, a pessoa de Jesus.

Mateus 1,18-24 – Jesus é o Deus-conosco que salva o seu povo dos seus pecados. Jesus não é apenas filho da história dos homens. É o próprio Filho de Deus, o Deus que está conosco. Ele inicia nova história, em que os homens serão salvos (Jesus = Deus salva) de tudo o que diminui ou destrói a vida e a liberdade (os pecados).

Romanos  1,1-7 – O Evangelho é Jesus Cristo . Paulo ainda não conhece os cristãos de Roma. Por isso, apresenta-se com todos os seus títulos: servo, apóstolo e escolhido. Sua missão é anunciar o Evangelho, isto é, a Boa Notícia que Deus revela ao mundo, enviando Jesus Cristo para libertar os homens e instaurar o seu Reino. O centro desse Evangelho é, portanto, a pessoa de Jesus na sua vida terrena, morte e ressurreição, que o constituem Senhor do mundo e da história. A originalidade da missão de Paulo é conduzir os pagãos à obediência da fé, ou seja, a uma submissão livre, que os faz viver de acordo com a vontade de Deus, manifestada em Jesus Cristo.

Mensagem: Às portas do Natal, a liturgia deste domingo se concentra em torno desta boa notícia: Deus está conosco. Esse anúncio foi feito pelos profetas, apóstolos e servos.

<< Voltar