Sexto Domingo da Páscoa

O Amor Gera Comunidade

O amor é a essência da vida de Deus e das pessoas. O Pai ama o Filho, comunicando-lhe o Espírito Santo. Jesus nos ama, infundindo-nos seu Espírito e tornando-nos seus amigos e companheiros de luta na implantação do projeto de vida. Assim formamos comunidade com a Trindade (evangelho). O amor gera comunidade entre as pessoas, levando-as a superar barreiras, pois não discrimina por nenhum motivo ( I leitura). Amar é compromisso sério com o povo que sofre, pois ninguém conhece Deus a não ser por meio da solidariedade com os empobrecidos (II leitura). Amar ou não amar: eis questão. Aí se joga a sorte do cristianismo e de qualquer religião, pois, sem o amor, nem o próprio Deus existe.

Atos 10,25-26.34-35.44-48: A conversão de Cornélio – O batismo do centurião romano significa um avanço decisivo da comunidade cristã no mundo pagão. A iniciativa vem, em todos os sentidos, de Deus, até na inesperada efusão do Espírito sobre pagãos não batizados! Também hoje devemos ter a simplicidade de reconhecer que em cada povo, cada ideologia e cada confissão, Deus está com aqueles que o procuram de coração sincero. A comunhão com Cristo é essencialmente obra do Espírito Santo. O amor não discrimina. Esta leitura nos ajuda a uma reflexão em torno do diálogo ecumênico. Ela afirma que são suficientes o temor de Deus e a prática da justiça para estar em sintonia com seu projeto.

João 15,9-17 : O amor maior: dar sua vida por aqueles que se ama – Continuação da alegoria da vinha. A união vital e fecunda entre a videira e os ramos é união de amor expansivo, do Pai ao Filho, do Filho aos discípulos, dos discípulos aos outros seres humanos. Devemos permanecer nesta comunhão. O sinal disso é a observância da palavra de Cristo: o  mandamento do amor. Ele mesmo no-lo ensinou pelo dom de sua vida, prova de amor maior. O amor gera comunidade. Neste texto o mais importante, talvez, seja esta: amar é levar adiante, na comunidade, o projeto de vida e liberdade. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos.

Deus é amor. É uma expressão simbólica, que quer abrir nossos olhos para a presença de Deus na realidade do amor, e isso, sob dois aspectos: o amor que se nos revela na doação de Cristo por nós ( o amor como dom) e o amor que nós devemos praticar para com os filhos de Deus (o amor como missão), sendo que o primeiro é modelo e fundamento do segundo. Assim, amor”não significa, antes de tudo, que nós amamos a Deus ( a observância do primeiro mandamento, entendida como base de justificação), mas que Deus nos amou primeiro, dando seu Filho por nós (1 Jo 4,10)

1 João 4,7-10: Deus é amor – Em Cristo encontramos o verdadeiro amor divino na sua origem e no seu ser. Purifica e eleva o amor humano. Nossa aceitação deste amor divino mostra-se no fato de acolhermos em nosso amor humano nosso irmão necessitado. Se não o acolhemos, deixamos Deus lá fora, no frio da noite. Experimentar Deus amor. Esta leitura serve para avaliar criticamente nossa realidade comunitária e nacional: quantos se dizem cristãos de corpo inteiro, crêem em Deus, mas não contrário, exploram-no sempre mais.

<< Voltar