Quinto Domingo da Páscoa

Ideal do Cristão: amar como Jesus

O ser humano egoísta, fechado em si mesmo, procura a própria glória. Jesus, cumprindo a vontade do Pai, dá glória a Deus e mostra que o projeto divino é ser plenamente humano: as pessoas o executarão vivendo o amor que tem como único ponto de referência a vida e ação de Jesus (evangelho).

Para realizar esse projeto divino-humano, os cristãos são convidados a reforçar constantemente suas opções, a fim de superar, vitoriosos, as tribulações, mantendo-se unidos na fé e no amor (I leitura).

Em Jesus, Deus se tornou um de nós, tornando possível a intimidade de Deus com as pessoas. Na tensão da caminhada, impulsionados pela presença ativa do Cordeiro, os cristãos irão descobrindo e construindo a Nova Jerusalém (II leitura).

Atos 14,21-27 – A obra de Deus em Paulo e Barnabé – Conclusão e “relatório” da primeira viagem missionária de Paulo. Na volta da viagem, visitam de novo as jovens comunidades e instituem os “presbíteros” . Rm 1,11 – Hb 10,36

Apocalipse 21, 1-5 – A nova criação e a nova Jerusalém – A última palavra sobre a História não é a destruição, mas a restauração da pureza inicial. “Babilônia”- o mundo embriagado pelo poder e a cobiça – foi destruída ( Ap 18,21-24) . Mas Deus permanece conosco: Emanuel (21,3. Is 7,14). Ë a nova criação, as núpcias de Deus com seu povo . 21,1-2 . Is 65,17-25.

João 13,31-35 – O novo mandamento – Para que se realize a nova criação mostra o Deus-Amor e no mandamento do amor nos ensina a sermos seus filhos. O novo deste mandamento não é o amar”, e sim; Jesus mesmo: “como eu vos amei ”Jo 12,31; 16,33.

<< Voltar