Transfiguração do Senhor

A certeza da vitória

Eucaristia é a celebração da aliança de Deus com a humanidade, selada no sangue de Jesus: “ Anunciamos, Senhor, a vossa morte, e proclamamos a vossa ressurreição.  Vinde, Senhor Jesus!” Celebramos a vitória de Jesus sobre a morte (evangelho), prova maior de que Deus está ao nosso lado, mesmo quando temos a expressão de sermos devorados pelas “feras” da terra. Eucaristia é a memoria da resistência dos cristãos ( I Leitura).

A celebração eucarística é um dos momentos privilegiados para a comunhão com o Deus que fala. Sua Palavra é fruto do Espírito que anima nossa caminhada. É resultado do testemunho de quem experimentou a proximidade do Deus aliado fiel (II leitura).

Daniel 7,9-10.13-14 –  O projeto de Deus julga e vence as feras da terra. O autor mostra agora o mistério que governa e julga a história: o Ancião é o próprio Deus, cercado por seus anjos, mediadores de sua ação na história. Os livros, onde são registradas as ações dos homens, são abertos: começa o julgamento. A fera julgada é a quarta, símbolo do império de Alexandre e, principalmente, de Antíoco IV. O misterioso filho de homem é uma personificação do povo fiel, que recebe de Deus o reino que durará para sempre. O Novo Testamento vê Jesus, o instaurador do Reino de Deus, como esse misterioso filho de homem que vem do céu.

2 Pedro 1,16-19 – O projeto de Deus continua no testemunho dos cristãos. O texto apresenta o código cristão da santidade. Pela conversão e batismo, o cristão começa uma vida nova que, por uma série de motivos, exige constante empenho de santificação: imitação da santidade de Deus que o chamou à fé; perspectiva do julgamento conforme as obras de cada um; o caro resgate realizado por Jesus Cristo. O clima da vida cristã é apresentado aqui como permanente conversão: de escravos do mundo e das paixões, os cristãos foram libertos por Cristo para serem filhos de Deus, que se reúnem formando nova família. Para os que vivem num ambiente onde são discriminados, humilhados e até perseguidos, essa é a base fundamental para que eles se sintam em casa e possam enfrentar o clima hostil.

Mateus 17,1-9 – Jesus: Rei, Servo e Profeta do Pai:  A vida e ação de Jesus não terminam na sua morte. A transfiguração é sinal da Ressurreição: a sociedade não conseguirá deter a pessoa e a atividade de Jesus, que irão continuar através de seus discípulos. A voz de Deus mostra que, daqui por diante, Jesus é a única autoridade. Todos os que ouvem o convite de Deus e seguem a Jesus até o fim, começam desde já a participar da sua vitória final, quando ressuscitarão com ele.

<< Voltar