Vigésimo Quinto Domingo do Tempo Comum

O que é a justiça do Reino?

Nossas comunidades se reúnem para celebrar a fé, crendo que , para nós, o viver é Cristo e o morrer representa uma  lucro (II leitura). Mas ninguém de nós precisa correr loucamente ao encontro da morte, e menos ainda permitir que ela continue ceifando vidas inocentes.

Na celebração aprendemos a buscar o Senhor e seu projeto de vida (I leitura), diminuindo a distância que existe entre nossos planos e o projeto de Deus, que é a liberdade e vida para todos, sobretudo para os que são considerados últimos em nossa sociedade classista e discriminadora (evangelho}. Aprendemos, portanto, a conhecer e a praticar sempre mais a justiça do Reino. Ao redor de nossas igrejas, nas praças de nossas cidades, estão milhares de pessoas que nos interpelam: É essa a justiça que vocês aprenderam: É esse o tipo de sociedade que vocês captaram do ensinamento do Mestre da Justiça.

Isaias 55,6-9 – Converter-se ao projeto de Deus.  Javé tem um projeto de verdadeira realização para a história: liberdade e vida para todos. Esse projeto é revelado aos homens através da Palavra que, gerando acontecimentos, concretiza o projeto de Deus. A sabedoria do homem consiste em procurar Javé, isto é, converter-se para ele, ouvir a sua palavra e tornar-se aliado seu na luta em prol de liberdade e vida para todos.

Matheus 20,1-16 a – Fazer justiça aos últimos.  No Reino não existem marginalizados. Todos têm o mesmo direito de participar da bondade e misericórdia divinas, que superam tudo o que os homens consideram como justiça. No Reino não há lugar para o ciúme. Aqueles que julgam possuir mais méritos do que os outros devem aprender que o Reino é dom gratuito.

Filipenses 1,20c-24.27 a – Que sentido tem a vida? Paulo provavelmente tem meios para ser solto da prisão e escapar à morte. Mas encontra-se num dilema: viver ou morrer? No contexto da sua fé, as duas coisas se equivalem: viver é estar em função de Cristo, ou seja, da evangelização; e morrer é lucro, pois leva a estar com Cristo. Paulo resolve o dilema, não levando em conta seu próprio interesse, mas o que é melhor para a comunidade: continuar vivo, para ajudar os filipenses a crescer e se realizar plenamente na fé.

Mensagem – Enquanto pautamos nossa vida pelos critérios dos operários da primeira hora jamais alcançaremos a justiça do Reino.

<< Voltar