Vigésimo Terceiro Domingo do Tempo Comum

A difícil arte de ser justo

Os seguidores de Jesus se reúnem para celebrar juntos a memória daquele que nos amou até às extremas conseqüências do amor: Jesus Cristo morto e ressuscitado, presente onde dois ou três se reúnem em seu nome. Os que se reúnem em nome dele buscam criar e expressar relações onde a única dívida a ser paga é a do amor, pois “amar é obedecer à Lei com perfeição”(II leitura). À luz da Palavra de Deus, os seguidores de Jesus aprendem a praticar a justiça do Reino na comunidade, fazendo de tudo para salvar o irmão (evangelho) , pois a luto pela justiça é a carteira de identidade do profeta (I leitura).

Ezequiel 33,7-9 – A luta pela justiça é questão de vida ou morte -O profeta é porta-voz da justiça de Deus. Isso o torna, por obrigação, um conscientizador do povo. A justiça de Deus quer que todos tenham chance de perceber o erro e se converter para a vida. Calando, o profeta se torna conivente com a injustiça e sofre dela as mesmas conseqüências.

Matheus 18,15 – 20 – A justiça do Reino na comunidade. Quando um irmão peca, prejudicando o bem comum, a comunidade age com prudência e justiça, procurando corrigir o irmão. Reunida em nome e no espírito de Jesus, a comunidade tem o poder de incluir ou excluir pessoas do seu meio (cf. 16,19), isto é, incluir ou excluir pessoas. A missão dela, porém, não termina com a exclusão do pecador: ela deve procurá-lo, como o pastor que sai em busca da ovelha perdida (18,11-14).

Romanos 13, 8-10 – Tarefa sem limites. Na vida cristã a única tarefa que não tem limites é o amor, pois ele não só resume tudo o que deve ser feito, mas é também o espírito com que tudo deve ser feito. Como nos evangelhos, Paulo também vê o amor como a expressão perfeita de toda a Lei.

Mensagem: O evangelho de hoje é parte do discurso sobre a Igreja, em que Jesus instruí os seus discípulos acerca dos aspectos essências da vida comunitária cristã. A comunidade cristã é uma comunidade de reconciliados, por isso o perdão deve ser uma das marcas de sua existência. A comunidade cristã deve ser caracterizada pelo serviço e pelo cuidado de uns pelos outros.

<< Voltar